ODS: usina Amager Bakke transforma resíduos em energia e mais…

  • por

Espero que você, assim como eu, fique impressionado com a imagem dessa construção.

Trata-se de uma obra enorme e chama a atenção, pois nos faz refletir sobre a necessária e urgente mudança de hábitos que, nós, Seres Humanos, estamos a vivenciar neste planeta Terra. E que, gostemos ou não, temos o DEVER de revisar nosso envolvimento neste Ser Sistêmico que é o Ser Ambiente.

Nossa voracidade em retirar do planeta os recursos que precisamos para o “bom viver” está crítico. E, não é de ontem, mas de alguns anos, pois é preciso gritar: ALERTA! Momento crucial para revisar os Sensos Sistêmicos. Todos! “Dia da Sobrecarga”.

Esse local chama-se Amager Bakke, uma usina de transformação de resíduos em energia que substituiu uma antiga usina de incineração de carvão, perto de Copenhagen, Dinamarca,  que produz eletricidade suficiente para abastecer pelo menos 60.000 casas e aquecer 72.000.

Amager Bakke (amager Hill), também conhecido como amager Declive ou Copenhill , é uma  usina de co-geração de lixo em energia. E, reparem no teto do imenso prédio, há uma praça de desportos.

Foi inaugurada em 30 de março de 2017 e substituiu parcialmente a antiga usina de incineração próxima em Amager, que está em processo de conversão de carvão em biomassa. As duas usinas desempenham um papel importante nas ambições de Copenhague de ser carbono zero até 2025.

A tecnologia de filtragem avançada reduz as emissões de óxidos de nitrogênio nocivos a quase zero.

Durante séculos, os países industrializados seguiram uma economia linear do tipo pegar e transformar em lixo: as matérias-primas são reunidas e transformadas em produtos que são vendidos e, depois descartados como lixo. O valor é criado neste sistema econômico pela produção e venda de tantos produtos quanto possível. O modelo não apenas drena os recursos naturais, mas também – nas demandas que faz no consumo de energia e por causa da dependência de combustíveis fósseis – exacerba o aquecimento global.

Uma economia circular oferece uma alternativa ao desacoplar a atividade econômica do consumo de recursos finitos. Baseia-se no desenho de resíduos e poluição fora do sistema, mantendo produtos e materiais em uso e regenerando sistemas naturais.

O custo estimado é de US$ 670 milhões, e realiza a queima de 400.000 toneladas de resíduos sólidos urbanos anualmente.

Também abriga uma instalação esportiva projetada pelo Bjarke Ingels Group com um telhado inclinado de 85 m de altura que funciona como uma pista de esqui artificial durante todo o ano , rampa para caminhada e parede de escalada, fabricada pela Walltopia sendo a parede de escalada mais alta do mundo.

Tecnicamente, a planta é projetada para mudar entre os modos de operação, produzindo 0-63 MW de eletricidade e 157-247 MW de aquecimento urbano , dependendo da demanda de calor local e do preço da energia.

Produz mais água limpa do que usa.

Por causa da filtragem e outras tecnologias, a emissão de enxofre deve ser reduzida em 99,5% e NO em cerca de 95%, bem como dioxinas e HCl e é considerada a usina de incineração mais limpa do mundo.

Uma característica especial desta instalação será que a chaminé não deve emitir sua exaustão continuamente, mas sim, na forma de anéis de “fumaça” (consistindo em vapor d’água em vez de fumaça real). Uma curiosidade durante sua operação ocorreu em 7 de setembro de 2018, quando todo o tratamento de resíduos e produção de energia foi interrompido por 17 dias para corrigir uma falha de projeto nos compensadores do sistema de vapor de baixa pressão.

Que sirva de reflexão e muitas conversas em sua empresa. É possível realizar algo similar? Entre em contato e vamos conversar, syn!

Shine Your Nature!

SYN!

Fontes:

World Press Photo: The End of Trash – Circular Economy Solutions – Photographer: Luca Locatelli

Amager Bakke – Wikipedia

#shineyournature #engenharia #consultoria #mentoria #treinamento #solucoesTIC

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *